Qual prótese colocar? Qual tamanho?

Uma pergunta bastante frequente é qual a prótese escolher. Não há uma resposta fácil, recomendo sempre que use uma prótese sabidamente de qualidade, um parâmetro bastante simples é a escolha de próteses aprovadas pela FDA dos Estados Unidos, que para mim, são mais confiáveis que a ANVISA Brasileira. Lembram do escândalo das prótese francesas? Elas não eram aprovadas pelo FDA e eram aprovadas pela ANVISA…
E quanto ao tamanho? Há muitos anos defendo próteses mamárias de tamanhos menores. Certamente perdi pacientes por insistir nesta posição. Mas tenho convicção de que sempre indiquei o melhor para as minhas pacientes. Hoje vemos um movimento em direção ao que sempre defendi, próteses pequenas, mais naturais, com menos complicações. Agora muitas pacientes querem reduzir suas próteses, tendo que pagar um preço muitas vezes alto de ter várias cicatrizes nas mamas.
Mas por que próteses menores? Porque causam menos complicações, que não são avisadas pela maioria dos cirurgiões plásticos. São algumas elas: queda das mamas, alteração da sensibilidade, aumento do tamanho da aréola e o que provavelmente é mais grave, atrofia do tecido mamário, que leva a redução do volume a possibilidade de se sentir ou até mesmo ver a prótese, além de resultados pouco naturais, mais vulgares e de dificultar a atividade física.
A busca pela solução destes problemas, da elegância, têm levado a troca das próteses. Tanto os resultados quanto a satisfação são bons e justificam a cirurgia se este for o seu objetivo.