Ex-Obesos

 

VOLTAR

 

Com o avanço da cirurgia para obesidade mórbida muitos pacientes passaram a ser ex-obesos e desfrutar de uma grande melhora na saúde e qualidade de vida. No entanto, passou a ter em conseqüência da obesidade passada um grande excesso de pele geralmente situado na região do abdômen, região dorsal, região das coxas e regiã o dos braços. Excesso este que causa muitas vezes muito desconforto ao paciente devido a dificuldades de higiene, podendo até mesmo a desenvolver doenças na pele, dificuldades de se vestir e dificuldades com a imagem da estética corporal. As cirurgias mais freqüentemente realizadas são dermolipectomias associadas ou não a lipoaspiração do abdômen, dorso, coxas e braços. Qual procedimento poderá ser realizado dependerá de uma avaliação de cada caso. A seguir discorremos aspectos gerais sobre cada uma destas cirurgias.

 

DERMOLIPECTOMIA DE BRAÇOS
Com o efeito do tempo e da perda de peso, tanto os homens e as mulheres podem perder o tono cutâneo. Esta perda do tono se manifesta como um excesso de pele, uma frouxidão da pele do lado de baixo do braço. este excesso algumas vezes é acompanhado de depósito de gordura e fazer com que o braço seja maior que se desejaria. Em indivíduos que têm uma boa qualidade de pele e não têm excesso de pele apenas de gordura, a lipoaspiração é o tratamento mais adequado. A pele nestas pessoas costuma retrair e dar um resultado satisfatório. A dermolipectomia é restrita aos casos em que há um excesso cutâneo evidente, podendo também ser removida parte da gordura. Com esta cirurgia consegue-se restaurar um aspecto mais jovem ao braço.

A cirurgia inicia-se freqüentemente com uma lipoaspiração do braço seguida por um corte em sua parte interna que variará de tamanho em função do caso. Ao término da cirurgia realiza-se um curativo e coloca-se uma malha compressiva local. Geralmente o paciente poderá retornar para sua residência no mesmo dia. Devendo retornar à clínica conforme solicitado pelo cirurgião para troca de curativos. O repouso deverá ser relativo não podendo realizar atividades físicas com os braços por um período que irá variar com o tipo de cirurgia de 2 a 6 semanas.

As cicatrizes irão passar por todas as fases (vide cicatrização) até atingir sua aparência final. e como todas as cicatrizes terão restrição à sol.

CONTORNO CORPORAL
A cirurgia de contorno corporal consiste na combinação da abdominoplastia (vide item) e a torsoplastia que consiste em uma cirurgia semelhante a do abdômen porém na região do dorso. Como em qualquer região do corpo, a pele do abdômen e do dorso sofre a ação do tempo, da gravidade e da perda de peso. O excesso de pele que pode haver na maioria dos casos acarreta um grande desconforto físico impedindo o uso adequado de roupas, a participação social adequada e em alguns casos até mesmo dificuldade de higiene pessoal. Para se alcançar um resultado adequado, freqüentemente é necessário a combinação das duas cirurgias.

Suas cicatrizes localizam-se na região inferior do abdômen, sobre o púbis, indo a região lateral, caso seja realizada a torsoplastia a cicatriz se prolongará posteriormente na região dorsal baixa logo acima das nádegas. As cicatrizes geralmente são de boa qualidade e ficam escondidas pela maioria das roupas de banho. Ao término da cirurgia realiza-se um curativo e coloca-se uma malha compressiva local. Geralmente o paciente poderá retornar para sua residência após dois dias de cirurgia. Devendo retornar à clínica conforme solicitado pelo cirurgião para troca de curativos. O repouso deverá ser relativo não podendo realizar atividades físicas por um período que irá variar com o tipo de cirurgia de 2 a 6 semanas. Apesar do comprimento da cicatriz, este tipo de cirurgia trás um grande conforto e satisfação aos pacientes.

As cicatrizes irão passar por todas as fases (vide cicatrização) até atingir sua aparência final e como todas as cicatrizes terão restrição ao sol.

SUSPENSÃO DE COXAS
Os efeitos do tempo, da gravidade e da perda do tono cutâneo, podem levar a uma aparência desagradável e a um desconforto ao paciente em relação à face interna das coxas, que geralmente têm um aspecto mais jovem que a face externa da coxa. Podendo ser aumentado ainda mais pela perda de peso. Em alguns pacientes, existe além do excesso cutâneo um excesso de gordura, nestes casos, a lipoaspiração está indicada como método para tratamento isolado ou associado a suspensão das coxas.

A cirurgia de suspensão de coxas é realizada através da ressecção do excesso de pele e seu reposicionamento. Geralmente suas cicatrizes localizam-se na raiz da coxa e eventualmente, em função de cada caso, na face interna da coxa na vertical a sua extensão também dependerá de cada caso. Ao término da cirurgia realiza-se um curativo e coloca-se uma malha compressiva local. Geralmente o paciente poderá retornar para sua residência no dia seguinte a cirurgia. Devendo retornar à clínica conforme solicitado pelo cirurgião para troca de curativos. O repouso deverá ser relativo não podendo realizar atividades físicas com os braços por um período que irá variar com o tipo de cirurgia de 2 a 6 semanas.

As cicatrizes irão passar por todas as fases (vide cicatrização) até atingir sua aparência final e como todas as cicatrizes terão restrição ao sol.

RISCOS
Como toda cirurgia existem alguns riscos inerentes a todos os procedimentos cirúrgicos e alguns específicos de cada procedimento. De um modo geral, os problemas mais comuns são infecção local, hematomas, pequenas deiscências e má qualidade na cicatriz. Todos eles geralmente são bem contornados de modo a não perder o resultado cirúrgico e não causar transtornos maiores a não ser o atraso da recuperação da cirurgia. Seguindo as orientações dadas e deixando-se de fumar com 3 semanas de antecedência, diminui-se muito as chances destas complicações ocorrerem. Outros detalhes serão discutidos no ato da consulta médica.