Carcinoma Espinocelular ou Epidermóide

 

VOLTAR

 

O carcinoma espinocelular (CEC) é um câncer de pele e é o segundo tipo de câncer mais comum no ser humano e também está relacionado à exposição solar. Pode também surgir em áreas do corpo com história de queimadura ou expostas a outros tipos de irradiação, como os Raios X. Pacientes que foram submetidos a transplante de órgãos (principalmente renal), apresentam maior chance de aparecimento deste tipo de tumor.

As ceratoses actínicas, que são lesões causadas pelo efeito acumulativo do sol, podem se transformar em CEC, se não forem tratadas corretamente através de cauterizações, pomadas (Imiquimode) ou Terapia Fotodinâmica.

Geralmente apresenta-se como uma lesão de crescimento rápido, que pode ter a superfície com crosta ou vegetante (aspecto de couve-flor) e ulceração central (ferida que sangra) com a base vermelha e endurecida.

Apresenta maior chance de metástase (tumor em outros locais do corpo), principalmente linfonodal (para os gânglios) se o tratamento correto não for feito rapidamente.

A biópsia também é um importante método para diagnóstico e a remoção cirúrgica com margens de segurança, é a principal forma de tratamento.

Tanto para o CBC quanto para o CEC, a proteção solar é a principal forma de prevenção.

A consulta periódica com profissional especializado em oncologia cutânea é imprescindível para o diagnóstico precoce das lesões, especialmente pacientes com pele e olhos claros, história de queimadura de pele, história pessoal ou familiar de câncer de pele.